A diabetes é um problema de saúde global, com uma prevalência de 8,8% (425 milhões de adultos vivem com a doença em todo o mundo), sendo que tanto a incidência como a prevalência da doença estão a subir. Embora existam fatores de risco não modificáveis como a história familiar e a idade com um papel no desenvolvimento da doença, outros fatores como o estilo de vida, incluindo a dieta, têm um papel importante na mesma. Alterações de estilo de vida poderão diminuir o risco de diabetes e influenciar a progressão da doença .

Existe uma quantidade razoável de estudos que mostram que uma dieta ocidental, caracterizada por uma ingestão elevada de carne esteja associada a um risco superior de diabetes tipo 2 (DT2), mas pelo contrário dietas de base vegetal como a Mediterrânica ou a DASH, caracterizadas por uma ingestão elevada de produtos vegetais e pouca carne, estejam associadas a um risco inferior de DT2 . Para verificar se essas associações são consistentes, foi realizada uma meta-análise a 28 estudos prospetivos, na qual foram observados os seguintes resultados:

  • Uma ingestão superior de carne total (33%), carne vermelha (22%) e carne processada (25%) esteve associada a um risco superior de DT2;
  • Por cada 100g/dia de carne total e carne vermelha houve um risco 36% e 31% superior de DT2, respetivamente;
  • Por cada 50g/dia de carne processada houve um risco 46% superior de DT2.

O estudo concluiu que existe uma relação dose-dependente entre a ingestão de carne total, carne vermelha e carne processada e o risco de diabetes tipo 2 .

Anteriormente, vários estudos têm mostrado que o consumo de carne, em especial carne vermelha poderá contribuir para o risco de diabetes. Essa associação poderá ser mediada em parte no caso das carnes vermelhas e totalmente no caso das aves pela ingestão de ferro heme presente nessas carnes . Outro estudo que incluiu no total 149143 homens e mulheres a partir de 3 estudos prospetivos, mostrou que por cada ½ porção por dia de carne vermelha adicional, houve um risco 48% superior de DT2 .

Por outro lado, vários estudos sugerem que uma dieta de base vegetal está associada a uma diminuição do risco de diabetes. A análise conjunta a 3 estudos prospetivos com 200727 participantes no total mostrou que aqueles com índices de dieta de base vegetal superiores tiveram um risco inferior de diabetes tipo 2: diminuição de 20% no caso de PDI (dietas de base vegetal) e 34% no caso de hPDI (dietas de base vegetal saudáveis) .

Dentro das dietas de base vegetal, a dieta vegana parece ser aquela que mais diminui o risco da doença. Um estudo prospetivo com 41387 participantes mostrou que uma dieta ovo-lacto-vegetariana esteve associada a uma diminuição de 38% no risco de diabetes tipo 2 e uma dieta vegana esteve associada a um risco 62% inferior da doença .

Uma meta-análise a 9 estudos prospetivos com um total de 307099 participantes mostrou também que dietas de base vegetal estiveram associadas a um risco 23% inferior de diabetes tipo 2. Além disso, nos estudos em que se diferenciou dietas de base vegetal saudáveis (ricas em vegetais, frutos, cereais integrais, leguminosas e frutos secos) de dietas de base vegetal pouco saudáveis (ricas em farinhas refinadas e açúcares adicionados), houve uma diminuição de 30% no risco de diabetes tipo 2.  O estudo concluiu assim que dietas de base vegetal, especialmente aquelas que incluem alimentos saudáveis, poderão ser eficazes na prevenção de diabetes tipo2 .

Para procurar identificar os componentes da dieta mais fortemente associados com o risco de diabetes tipo 2, foi igualmente realizada uma revisão guarda chuva de revisões sistemáticas e meta-análises de estudos prospetivos que procurou avaliar a força da evidência dessas associações . Os alimentos mais associados a uma diminuição do risco de diabetes foram os cereais integrais e as fibras de cereais. Por outro lado aqueles que mais estiveram associados a um risco superior de diabetes foram a carne vemelha, processada, bacon e bebidas açucaradas. Por outro lado os padrões alimentares mais protetores foram por ordem decrescente a dieta vegetariana, dieta DASH e dieta Mediterrânica. Tanto uma dieta pouco saudável como uma dieta pobre em hidratos de carbono estiveram associados a um risco superior de diabetes .

Um estudo mais recente procurou identificar os perfis de metabolitos relacionados com diferentes dietas de base vegetal e as possíveis associações com o risco de diabetes tipo 2 . A identificação dos diferentes metabolitos (produtos finais resultantes dos processos celulares) presentes numa amostra biológica, conhecida como metabolómica, tem sido estudada como um meio de caracterizar o padrão alimentar de um indivíduo. Neste caso, foram analisadas amostras de sangue e os consumos alimentares de 10684 participantes de 3 estudos prospetivos. Os participantes preencheram questionários de frequência alimentar os quais foram classificados de acordo com a sua adesão a 3 dietas de base vegetal: Índice de Dieta de Base Vegetal (PDI), Índice de Dieta de Base Vegetal saudável (hPDI) e Índice de Dieta de Base Vegetal não-saudável (uPDI). Ao serem analisados os perfis de metabolitos juntamente com os índices foram observados os seguintes resultados:

  • As dietas de base vegetal estiveram associadas a perfis de metabolitos específicos, sendo estes diferentes entre dietas de base vegetal saudáveis e não-saudáveis;
  • Os perfis de metabolitos de dietas de base vegetal gerais e saudáveis estiveram associados a uma diminuição do risco de diabetes, de forma independente do peso (IMC) e outros fatores de risco;
  • Os metabolitos trigonelina, hipurato, isoleucina e alguns triacilgliceróis estiveram associados ao risco de diabetes.

O estudo concluiu que os perfis de metabolitos relacionados com dietas de base vegetal, especialmente dietas de base vegetal saudáveis, estiveram associados a um risco inferior de diabetes tipo 2 numa população saudável, o que sugere que dietas de base vegetal saudáveis podem ser benéficas na prevenção da doença .

Os metabolitos associados às dietas de base vegetal poderão explicar em parte os seus efeitos protetores. A trigonelina, por exemplo, encontra-se no café e parece ter efeitos benéficos na resistência à insulina em estudos em animais. Níveis elevados de hipurato estão associados a um melhor controlo glicémico, maior secreção de insulina e risco inferior de diabetes tipo 2.

Dietas de base vegetal, rica em cereais integrais, vegetais, frutos, sementes e frutos secos, com pouco ou nenhum consumo de carnes vermelhas e processadas e pouca gordura saturada parecem ser a forma eficaz de prevenir diabetes tipo 2.

Referências:

1.
Wang F, Baden MY, Guasch-Ferré M, Wittenbecher C, Li J, Li Y, et al. Plasma metabolite profiles related to plant-based diets and the risk of type 2 diabetes. Diabetologia [Internet]. 2022 Apr 8 [cited 2022 Apr 24]; Available from: https://doi.org/10.1007/s00125-022-05692-8
1.
Dyson PA, Twenefour D, Breen C, Duncan A, Elvin E, Goff L, et al. Diabetes UK evidence-based nutrition guidelines for the prevention and management of diabetes. Diabet Med. 2018;35(5):541–7.
1.
Paulweber B, Valensi P, Lindström J, Lalic NM, Greaves CJ, McKee M, et al. A European evidence-based guideline for the prevention of type 2 diabetes. Horm Metab Res. 2010 Apr;42 Suppl 1:S3-36.
1.
American Diabetes Association. Evidence-based nutrition principles and recommendations for the treatment and prevention of diabetes and related complications. Diabetes Care. 2002 Jan;25(1):202–12.
1.
Schwingshackl L, Hoffmann G, Lampousi AM, Knüppel S, Iqbal K, Schwedhelm C, et al. Food groups and risk of type 2 diabetes mellitus: a systematic review and meta-analysis of prospective studies. Eur J Epidemiol [Internet]. 2017 [cited 2020 Apr 29];32(5):363–75. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5506108/
1.
Schwingshackl L, Missbach B, König J, Hoffmann G. Adherence to a Mediterranean diet and risk of diabetes: a systematic review and meta-analysis. Public Health Nutr. 2015 May;18(7):1292–9.
1.
Jannasch F, Kröger J, Schulze MB. Dietary Patterns and Type 2 Diabetes: A Systematic Literature Review and Meta-Analysis of Prospective Studies. J Nutr. 2017;147(6):1174–82.
1.
Yang X, Li Y, Wang C, Mao Z, Zhou W, Zhang L, et al. Meat and fish intake and type 2 diabetes: Dose–response meta-analysis of prospective cohort studies. Diabetes & Metabolism [Internet]. 2020 Apr 14 [cited 2020 Apr 29]; Available from: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1262363620300550
1.
Neuenschwander M, Ballon A, Weber KS, Norat T, Aune D, Schwingshackl L, et al. Role of diet in type 2 diabetes incidence: umbrella review of meta-analyses of prospective observational studies. BMJ [Internet]. 2019 Jul 3 [cited 2019 Nov 12];366. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6607211/
1.
Qian F, Liu G, Hu FB, Bhupathiraju SN, Sun Q. Association Between Plant-Based Dietary Patterns and Risk of Type 2 Diabetes: A Systematic Review and Meta-analysis. JAMA Intern Med [Internet]. 2019 Jul 22 [cited 2019 Jul 22]; Available from: https://jamanetwork.com/journals/jamainternalmedicine/fullarticle/2738784
1.
Tonstad S, Stewart K, Oda K, Batech M, Herring RP, Fraser GE. Vegetarian diets and incidence of diabetes in the Adventist Health Study-2. Nutr Metab Cardiovasc Dis [Internet]. 2013 Apr [cited 2018 Oct 22];23(4):292–9. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3638849/
1.
Talaei M, Wang YL, Yuan JM, Pan A, Koh WP. Meat, Dietary Heme Iron, and Risk of Type 2 Diabetes MellitusThe Singapore Chinese Health Study. Am J Epidemiol [Internet]. [cited 2017 Sep 6];1–10. Available from: https://academic.oup.com/aje/article/doi/10.1093/aje/kwx156/3848997/Meat-Dietary-Heme-Iron-and-Risk-of-Type-2-Diabetes
1.
Pan A, Sun Q, Bernstein AM, Manson JE, Willett WC, Hu FB. Changes in Red Meat Consumption and Subsequent Risk of Type 2 Diabetes: Three Cohorts of US Men and Women. JAMA Intern Med [Internet]. 2013 Jul 22 [cited 2016 Oct 19];173(14). Available from: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3847817/
1.
Satija A, Bhupathiraju SN, Rimm EB, Spiegelman D, Chiuve SE, Borgi L, et al. Plant-Based Dietary Patterns and Incidence of Type 2 Diabetes in US Men and Women: Results from Three Prospective Cohort Studies. PLOS Med [Internet]. 2016 Jun 14 [cited 2016 Jul 15];13(6):e1002039. Available from: http://journals.plos.org/plosmedicine/article?id=10.1371/journal.pmed.1002039