Embora as maçãs tenham a fama de afastar a necessidade de um médico, as laranjas também poderão concorrer a esse estatuto. Estamos habituados a ver nos citrinos uma fonte de vitamina C, no entanto existem muito outros compostos bioativos que poderão ter inúmeras funções protetoras para a nossa saúde. Uma dessas moléculas é o flavonoide nobiletina, a qual se encontra principalmente nas cascas dos citrinos, tais como as laranjas ou as tangerinas.

Algumas das propriedades possíveis da nobiletina passam por efeitos antioxidantes, anti-inflamatórios, antecancerígenos e antiangiogénicos, além de poder diminuir a perda de densidade óssea, diminuir a resistência à insulina, melhorar a hiperglicemia e diminuir o colesterol e a aterosclerose, em modelos in vitro e in vivo .

Um novo estudo em modelo animal alimentados com uma dieta rica em gordura e colesterol, mostrou que a nobiletina foi capaz de evitar a obesidade, gordura hepática, dislipidemia e a resistência à insulina, diminuindo assim o risco de doença cardiovascular e de diabetes, mesmo na presença de uma dieta de risco, contrariamente aqueles que não receberam nobilitina.

O estudo sugere que a nobiletina presente nos citrinos poderá ser benéfico no tratamento de síndrome metabólica, embora os resultados tenham de ser testados em humanos .

A casca dos citrinos contém nobiletina e outros flavonoides importantes. O tratamento com calor das cascas permite a libertação desses compostos a partir das células vegetais, aumentando os seus efeitos nutricionais. Nesse sentido, cozinhar as laranjas inteiras com a casca, como se faz por exemplo em alguns bolos (sem açúcar), é uma forma eficaz de obter as propriedades dos citrinos .

Anteriormente, um estudo prospetivo com 2037 participantes acompanhados ao longo de 15 anos mostrou que uma dieta rica em flavonoides, especialmente laranjas, poderá diminuir o risco de degeneração macular, sendo que comer 1 ou mais laranjas por dia esteve associado a uma diminuição de 61% no risco de degeneração macular .

As laranjas foram cultivadas pela primeira vez na China por volta de 2500 a.C. Foram introduzidas na Europa já no séc. XV, provavelmente por mercadores portugueses. O consumo regular de citrinos está associado a uma redução no risco de cancro do estômago e do esófago.

Não só os citrinos são uma fonte excelente de vitamina C como também de fitoquímicos como as flavanonas conhecidas pelas suas propriedades anticancerígenas e anti-inflamatórias. A maior concentração deste fitoquímicos encontra-se na casca e na película branca interior da laranja.

A toranja inibe a ação de enzimas responsáveis pela eliminação de substâncias tóxicas do nosso organismo aumentando assim a concentração de alguns fármacos, o que pode ser tóxico. Nesse sentido, deve ser evitada quando se fazem tratamentos de cancro.

As laranjas são uma excelente fonte de vitamina C e uma boa fonte de folato, vitamina B1, potássio, vitamina A, cálcio, vitamina B6, vitamina B5 e magnésio.

#eat2care

Referências:

2020-03-26T15:49:23+00:00 0 Comments

Leave A Comment

10 + 13 =