O AVC é uma das principais causas de morte em todo o mundo. Nesse sentido, é fundamental conhecer os seus fatores de risco e o efeito de alterações de estilo de vida no risco da doença.

Um novo estudo envolveu dois grupos de participantes que fazem parte de comunidades budistas em Taiwan nas quais uma dieta vegetariana é encorajada, assim como a abstinência de tabaco e álcool. O primeiro grupo tinha 5050 participantes acompanhados ao longo de 6 anos e o segundo tinha 8302 participantes acompanhados ao longo de 9 anos. Entre os participantes, os vegetarianos ingeriram mais vegetais, frutos secos, fibra, proteína vegetal e soja e ingeriram menos produtos lácteos e proteína e gordura animal. Alguns resultados do estudo:

  • Uma dieta vegetariana esteve associada a uma diminuição de 74% no risco de AVC isquémico no primeiro grupo;
  • No segundo grupo, uma dieta vegetariana esteve associada a uma diminuição de 48% no risco de AVC, 59% no risco de AVC isquémico e 66% no risco de AVC hemorrágico.

O estudo concluiu que uma dieta vegetariana, rica em vegetais, frutos secos e soja, poderá diminuir o risco de AVC .

Estes resultados, embora estejam em sintonia com resultados anteriores relativamente aos efeitos de uma dieta de base vegetal na prevenção de AVC, especialmente isquémico, contrastam com os resultados de outro estudo recente que sugeria que uma dieta vegetariana poderá aumentar o risco de AVC hemorrágico e diminuir o risco de cardiopatia isquémica. No entanto, os participantes desse estudo ingeriam níveis baixos de fibra, o que sugere que tivessem um padrão alimentar pouco saudável, rico em alimentos refinados .

Além disso, o facto de os participantes do estudo mais recente não ingerirem álcool por motivos religiosos, poderá explicar essas diferenças, uma vez que o álcool poderá aumentar o risco de AVC hemorrágico na presença de níveis baixos de colesterol, tal como é comum nas dietas vegetarianas .

Também é preciso levar em consideração que ao contrário de uma dieta vegetariana saudável, uma dieta vegetariana pouco saudável, rica em cereais refinados, açúcar e gorduras saturadas está associada a um aumento do risco de doenças cardiovasculares .

Anteriormente, um estudo prospetivo que acompanhou 418329 participantes a partir de 9 países europeus, procurou identificar os principais alimentos que poderão afetar o risco dos dois tipos de AVC. Alguns resultados do estudo :

  • A ingestão de frutos, vegetais, fibra e produtos lácteos esteve associada a uma diminuição do risco de AVC isquémico, mas não hemorrágico.
  • A cada 10g de fibra ingerida por dia, houve uma diminuição de 23% no risco de AVC isquémico e a cada 200g de frutos e vegetais por dia houve uma diminuição de 13%.
  • Uma ingestão elevada de carne vermelha esteve associada a um risco superior de AVC isquémico.
  • A cada 20g de ingestão de ovo, houve um aumento de 25% no risco de AVC hemorrágico.

A ingestão de fibra parece ser o elemento mais importante na prevenção de AVC isquémico. No caso do AVC hemorrágico, a ingestão de ovos poderá aumentar o risco. No estudo, 20g de ovos aumenta o risco em 25%, sendo que um ovo pesa cerca de 60g.

Relativamente ao AVC isquémico, dietas de base vegetal parecem ser especialmente protetoras. Por exemplo, um estudo anterior do EPIC-Oxford mostrou que o risco de doenças cardiovasculares é 32% inferior entre vegetarianos e veganos .

Além disso, uma dieta vegana parece ser a mais protetora contra a hipertensão, estando associado a uma diminuição de 75% no risco da doença, sendo que a hipertensão é um importante fator de risco para o AVC .

Por outro lado, um estudo prospetivo que incluiu 188518 participantes mostrou que a ingestão de 1 porção por dia de qualquer tipo de carne está associado a um aumento de 30% no risco de hipertensão, especialmente no caso de carne vermelha, mas também de carne branca e em menor grau de peixe .

Outros fatores que poderão diminuir o risco de AVC:

  • A ingestão elevada de frutos, vegetais, folato, vitamina C e fibra está associada a uma diminuição do risco de AVC. Por outro lado uma ingestão elevada de carne vermelha e processada poderá estar associada a um aumento do risco de AVC .
  • As dietas mais bem estudadas que mostram benefícios na prevenção de AVC são a dieta mediterrânica e a DASH. Ambas as dietas são de base vegetal pobres em gordura saturada e em cereais refinados .
  • O estudo clínico PREDIMED sugere também que uma dieta mediterrânica enriquecida com azeite ou frutos secos diminui o risco de AVC entre aqueles que têm risco superior de doença cardiovascular .

As dietas mediterrânicas são caracterizadas por um consumo elevado de frutos e vegetais, cereais integrais, frutos secos e leguminosas, com um consumo baixo de carne e produtos lácteos.

Referências:

2020-03-26T17:29:04+00:00 0 Comments

Leave A Comment

two × 5 =