O papel dos produtos de soja e das isoflavonas na saúde cardiovascular não é ainda totalmente claro. Pelas suas propriedades potencialmente protetoras, além de ser pobre em gorduras saturadas e colesterol, a soja tem feito parte de um grupo de alimentos recomendados para a prevenção de doenças cardiovasculares, sendo que esses benefícios poderão ser também resultantes da substituição de outros alimentos como a carne vermelha por soja .

Em 1999, a FDA nos EUA aprovou uma alegação de saúde para os produtos de soja como sendo protetores contra a doença coronária . No entanto, com base nos resultados contraditórios a partir de estudos clínicos e epidemiológicos posteriores, a FDA tem reconsiderado essa alegação. Além disso, recomendações atualizadas da American Heart Association concluíram que a evidência dos benefícios das isoflavonas para a saúde cardiovascular é mínima e que esses benefícios podem ser atribuídos a maior concentração de gorduras polinsaturadas, fibra, vitaminas e minerais além de uma menor concentração de gorduras saturadas .

No entanto, têm sido atribuídos vários benefícios às isoflavonas, incluindo a diminuição de colesterol LDL, inibição de citosinas proinflamatórias, proteínas de adesão celular e agregação plaquetária, aumento na produção de óxido nítrico e melhoria na reatividade vascular .

Vários estudos prospetivos têm mostrado uma associação inversa entre a ingestão de isoflavonas e fatores de risco cardiovasculares, assim como incidência de doença coronária. No entanto, esses resultados têm sido heterogéneos e têm limitações metodológicas .

Uma vez que os produtos de soja são uma fonte importante de proteína vegetal, especialmente entre aqueles que fazem uma dieta de base vegetal, é necessário investigar os efeitos de produtos de soja específicos no risco de doença coronária. Um novo estudo a partir de três coortes com um total de 210700 participantes sugere que a ingestão de isoflavonas e de tofu possa estar associada a uma diminuição do risco de doença coronária. Alguns resultados do estudo:

  • A ingestão de isoflavonas esteve associada a uma diminuição de 13% no risco de doença coronária;
  • A ingestão de tofu (>1 porção/semana) esteve associada a uma diminuição de 18% no risco de doença coronária.

O estudo concluiu que uma ingestão superior de isoflavonas e tofu poderá diminuir o risco de doença coronária, sendo que esses efeitos nas mulheres são mais significativos no caso de mulheres mais novas ou depois da menopausa sem substituição hormonal. Nesse sentido, incluir produtos de soja como tofu numa dieta saudável de base vegetal poderá ajudar na prevenção de doença coronária .

Alguns mecanismos que poderão explicar esses efeitos protetores:

  • Por terem uma configuração química semelhante aos estrogénios, as isoflavonas ligam-se aos recetores de estrogénio (ER), tendo maior afinidade pelos recetores de estrogénio beta (ERβ) . Os ERβ são altamente expressos nas artérias coronárias, sendo que a sua ativação altera a permeabilidade das membranas, concentrações de iões, expressão de óxido nítrico sintase endotelial e rápida vasodilatação dos vasos sanguíneos .
  • Ao estimularem a síntese de óxido nítrico endotelial e a ativação do fator nuclear eritroide 2, as isoflavonas inibem o stress oxidativo e a inflamação nas células vasculares .
  • As isoflavonas poderão contribuir para baixar os níveis de colesterol ao alterarem o metabolismo hepático aumentando a capacidade de remoção de LDL e VLDL dos hepatócitos. Além disso, poderão também diminuir a oxidação de LDL .
  • As isoflavonas poderão também interagir com a microbiota e produzir substâncias bioativas que exercem efeitos benéficos para a saúde humana. Por exemplo, suplementos de isoflavonas em mulheres na menopausa levou a um aumento de Faecalibacterium prausnitzii, Bifidobacteria e outras bactérias no intestino que têm propriedades anti-inflamatórias . Algumas isoflavonas são convertidas pela microbiota em metabolitos como o equol, o qual tem atividade antioxidante e propriedades anti-inflamatórias .

Anteriormente foi realizada uma meta-análise a 43 estudos clínicos controlados que incluiu 2607 participantes com hipercolesterolemia, com os seguintes resultados:

  • Aqueles que consumiram uma média de 25g de proteína de soja, ao fim de 6 semanas tiveram uma redução de cerca de 3 a 4% nos níveis de colesterol LDL.

O estudo sugere assim que o consumo de soja poderá diminuir o risco de doenças cardiovasculares ao diminuir os níveis de LDL . Essa redução deverá ser superior quando se substituem alimentos ricos em gorduras saturadas e colesterol por soja . Por outro lado, quando se combinam produtos de soja com alimentos ricos em fibra viscosa (como aveia e sementes de psílio) e fitoesteróis, a redução de colesterol LDL poderá chegar aos 29% .

Existem muitas dúvidas e mitos em torno dos efeitos da soja para a saúde. Para saber mais sobre a soja consultar este artigo.

 

Referências:

1.
Jenkins DJA, Mirrahimi A, Srichaikul K, Berryman CE, Wang L, Carleton A, et al. Soy protein reduces serum cholesterol by both intrinsic and food displacement mechanisms. J Nutr. 2010 Dec;140(12):2302S-2311S.
1.
Schreihofer DA, Deutsch C, Lovekamp-Swan T, Sullivan JC, Dorrance AM. Effect of high soy diet on the cerebrovasculature and endothelial nitric oxide synthase in the ovariectomized rat. Vascul Pharmacol [Internet]. 2010 [cited 2020 Apr 1];52(5–6):236–42. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2921790/
1.
Yum MK, Jung MY, Cho D, Kim TS. Suppression of dendritic cells’ maturation and functions by daidzein, a phytoestrogen. Toxicol Appl Pharmacol. 2011 Dec 1;257(2):174–81.
1.
Hwang J, Wang J, Morazzoni P, Hodis HN, Sevanian A. The phytoestrogen equol increases nitric oxide availability by inhibiting superoxide production: an antioxidant mechanism for cell-mediated LDL modification. Free Radic Biol Med. 2003 May 15;34(10):1271–82.
1.
Selma MV, Espín JC, Tomás-Barberán FA. Interaction between phenolics and gut microbiota: role in human health. J Agric Food Chem. 2009 Aug 12;57(15):6485–501.
1.
Sokol H, Pigneur B, Watterlot L, Lakhdari O, Bermúdez-Humarán LG, Gratadoux J-J, et al. Faecalibacterium prausnitzii is an anti-inflammatory commensal bacterium identified by gut microbiota analysis of Crohn disease patients. Proc Natl Acad Sci USA. 2008 Oct 28;105(43):16731–6.
1.
Clavel T, Fallani M, Lepage P, Levenez F, Mathey J, Rochet V, et al. Isoflavones and functional foods alter the dominant intestinal microbiota in postmenopausal women. J Nutr. 2005 Dec;135(12):2786–92.
1.
Clerici C, Nardi E, Battezzati PM, Asciutti S, Castellani D, Corazzi N, et al. Novel soy germ pasta improves endothelial function, blood pressure, and oxidative stress in patients with type 2 diabetes. Diabetes Care. 2011 Sep;34(9):1946–8.
1.
Zhang H, Zhao Z, Pang X, Yang J, Yu H, Zhang Y, et al. MiR-34a/sirtuin-1/foxo3a is involved in genistein protecting against ox-LDL-induced oxidative damage in HUVECs. Toxicology Letters. 2017 Jul 1;277.
1.
Jeon S, Park Y-J, Kwon YH. Genistein alleviates the development of nonalcoholic steatohepatitis in ApoE(-/-) mice fed a high-fat diet. Mol Nutr Food Res. 2014 Apr;58(4):830–41.
1.
Yan L-P, Chan S-W, Chan AS-C, Chen S-L, Ma X-J, Xu H-X. Puerarin decreases serum total cholesterol and enhances thoracic aorta endothelial nitric oxide synthase expression in diet-induced hypercholesterolemic rats. Life Sci. 2006 Jun 20;79(4):324–30.
1.
Irace C, Marini H, Bitto A, Altavilla D, Polito F, Adamo EB, et al. Genistein and endothelial function in postmenopausal women with metabolic syndrome. Eur J Clin Invest. 2013 Oct;43(10):1025–31.
1.
Mann GE, Rowlands DJ, Li FYL, de Winter P, Siow RCM. Activation of endothelial nitric oxide synthase by dietary isoflavones: role of NO in Nrf2-mediated antioxidant gene expression. Cardiovasc Res. 2007 Jul 15;75(2):261–74.
1.
Menazza S, Murphy E. The Expanding Complexity of Estrogen Receptor Signaling in the Cardiovascular System. Circ Res. 2016 Mar 18;118(6):994–1007.
1.
Siow RCM, Li FYL, Rowlands DJ, de Winter P, Mann GE. Cardiovascular targets for estrogens and phytoestrogens: transcriptional regulation of nitric oxide synthase and antioxidant defense genes. Free Radic Biol Med. 2007 Apr 1;42(7):909–25.
1.
Siow RCM, Mann GE. Dietary isoflavones and vascular protection: activation of cellular antioxidant defenses by SERMs or hormesis? Mol Aspects Med. 2010 Dec;31(6):468–77.
1.
Jiang Y, Gong P, Madak-Erdogan Z, Martin T, Jeyakumar M, Carlson K, et al. Mechanisms enforcing the estrogen receptor β selectivity of botanical estrogens. FASEB J. 2013 Nov;27(11):4406–18.
1.
Mink PJ, Scrafford CG, Barraj LM, Harnack L, Hong C-P, Nettleton JA, et al. Flavonoid intake and cardiovascular disease mortality: a prospective study in postmenopausal women. Am J Clin Nutr. 2007 Mar;85(3):895–909.
1.
Kokubo Y, Iso H, Ishihara J, Okada K, Inoue M, Tsugane S, et al. Association of dietary intake of soy, beans, and isoflavones with risk of cerebral and myocardial infarctions in Japanese populations: the Japan Public Health Center-based (JPHC) study cohort I. Circulation. 2007 Nov 27;116(22):2553–62.
1.
Curtis PJ, Sampson M, Potter J, Dhatariya K, Kroon PA, Cassidy A. Chronic ingestion of flavan-3-ols and isoflavones improves insulin sensitivity and lipoprotein status and attenuates estimated 10-year CVD risk in medicated postmenopausal women with type 2 diabetes: a 1-year, double-blind, randomized, controlled trial. Diabetes Care. 2012 Feb;35(2):226–32.
1.
Zahradka P, Wright B, Weighell W, Blewett H, Baldwin A, O K, et al. Daily non-soy legume consumption reverses vascular impairment due to peripheral artery disease. Atherosclerosis. 2013 Oct;230(2):310–4.
1.
Sacks FM, Lichtenstein A, Van Horn L, Harris W, Kris-Etherton P, Winston M, et al. Soy protein, isoflavones, and cardiovascular health: an American Heart Association Science Advisory for professionals from the Nutrition Committee. Circulation. 2006 Feb 21;113(7):1034–44.
1.
Food labeling: health claims; soy protein and coronary heart disease. Food and Drug Administration, HHS. Final rule. Fed Regist. 1999 Oct 26;64(206):57700–33.
1.
Ma Le, Liu Gang, Ding Ming, Zong Geng, Hu Frank B., Willett Walter C., et al. Isoflavone Intake and the Risk of Coronary Heart Disease in US Men and Women: Results From 3 Prospective Cohort Studies. Circulation [Internet]. [cited 2020 Mar 31];0(0). Available from: https://www.ahajournals.org/doi/10.1161/CIRCULATIONAHA.119.041306
1.
Kendall CWC, Jenkins DJA. A Dietary portfolio: Maximal reduction of low-density lipoprotein cholesterol with diet. Curr Atheroscler Rep [Internet]. 2004 Nov 1 [cited 2019 Nov 4];6(6):492–8. Available from: https://doi.org/10.1007/s11883-004-0091-9
1.
Blanco Mejia S, Messina M, Li SS, Viguiliouk E, Chiavaroli L, Khan TA, et al. A Meta-Analysis of 46 Studies Identified by the FDA Demonstrates that Soy Protein Decreases Circulating LDL and Total Cholesterol Concentrations in Adults. J Nutr [Internet]. [cited 2019 May 17]; Available from: https://academic.oup.com/jn/advance-article/doi/10.1093/jn/nxz020/5475972